Passo a Passo: Como Escolher a Semente de Arroz Certa para o Plantio

 

1) Local para Plantio

 

 

Escolher o local adequado para o plantio de arroz é fundamental para o sucesso da cultura. Aqui estão algumas diretrizes simples para ajudar nessa escolha: 

  • Topografia: Opte por áreas que possuam boa drenagem do solo, evitando terrenos muito inclinados ou propensos a alagamentos. Terrenos planos ou com um leve declive são ideais para o desenvolvimento saudável das plantas. 
  • Qualidade do solo: Verifique se o solo é rico em nutrientes e possui um pH entre 5,5 e 6,5. Isso proporciona condições ideais para o crescimento das plantas de arroz e resulta em uma colheita mais robusta. 
  • Proximidade da água: Como o arroz requer uma quantidade significativa de água, escolha locais próximos a fontes de água, como rios, lagos ou áreas com fácil acesso à água. Isso facilitará a irrigação adequada durante todo o ciclo da cultura.

 

2) Época para Plantio

 

 

A determinação da época correta para o plantio de arroz é essencial para garantir altas produtividades. Aqui estão algumas orientações sobre o momento ideal:

  • Arroz Irrigado: A época de plantio deve ser alinhada com a disponibilidade de água ao longo do ciclo da cultura. Certifique-se de que haja água suficiente para a irrigação durante todo o período de crescimento das plantas.
  • Arroz de Sequeiro: Para essa variedade, a época de plantio está relacionada ao fim/início das chuvas. Consulte o calendário agrícola para identificar as melhores épocas de semeadura, levando em consideração as condições climáticas regionais.

 

 

Em geral, o período de início de outubro a 20 de novembro é considerado ideal para o plantio de arroz. Essa época apresenta condições climáticas favoráveis, aumentando a probabilidade de altas produtividades ao longo do ciclo da cultura.
 

3) Semeadura

 

 

A semeadura do arroz no Brasil abrange métodos distintos, cada um com características específicas visando eficiência e qualidade. O transplantio, apesar de pouco conhecido, destaca-se pela recomendação na produção de sementes de alta qualidade, assegurando pureza varietal e simplificando o controle de plantas daninhas.

Plantio Direto:

Por outro lado, o plantio direto emerge como uma alternativa eficiente e econômica, especialmente vantajosa quando a área é compartilhada com outras culturas na entressafra. Com custo de implantação de cerca de metade do método convencional, este sistema preconiza uma densidade de sementes mais elevada. A irrigação tem início com banhos, seguida da inundação do solo. Destaca-se também o cultivo mínimo, que, através de um preparo leve do solo, facilita o controle de plantas daninhas, proporcionando um solo nivelado e liso.

Irrigação:

No que tange à irrigação, peça-chave devido à alta demanda hídrica do arroz, a preferência recai sobre a inundação do solo. Recomenda-se manter o solo constantemente úmido, evitando encharcamentos, mantendo uma lâmina de água entre 2 a 5 centímetros ao longo do ciclo da cultura.

Sistema Pré-Germinado:

Já no método pré-germinado, a preparação do solo é crucial, envolvendo a remoção de plantas daninhas e pragas, juntamente com a incorporação da palha do cultivo anterior. Antes da semeadura, é essencial realizar adubação e inundação do solo. As sementes pré-germinadas são então plantadas de forma dispersa em uma lâmina de água de 5 cm. Em casos de arroz vermelho, a camada de água é mantida após a semeadura; do contrário, ocorre a drenagem de 2 a 4 dias após a semeadura, com aumento gradual do nível à medida que as plantas crescem.

Manejo Geral:

Independentemente do método escolhido, o manejo geral demanda atenção à qualidade da água, inspeções regulares e a manutenção de água limpa e transparente. Um sistema de irrigação e drenagem adequado, aliado às considerações ambientais, é crucial para garantir a sustentabilidade na cultura do arroz. Este conjunto de práticas visa não apenas a eficiência agronômica, mas também a preservação ambiental.
 

 

4) Manejo de Controle de Pragas e Doenças

 

 

O cultivo do arroz enfrenta desafios significativos devido à competição com plantas daninhas, como o capim-arroz e o arroz-vermelho, além de plantas aquáticas invasoras. Para garantir uma safra bem-sucedida, é essencial adotar práticas eficazes de controle.

Escolha de Sementes de Qualidade: Opte por sementes de procedência confiável, livres de mistura varietal e contaminação, garantindo um início saudável para a cultura.

 

Manejo na Entressafra: Realize roçadas e dessecação com herbicidas durante a entressafra para controlar o crescimento de plantas daninhas.

 

Revolvimento do Solo: Revolva o solo para expor as sementes de invasoras, estimulando sua germinação e facilitando o controle.

 

Rotação de Culturas: Implemente a rotação de culturas, especialmente com soja e milho, para quebrar o ciclo de plantas daninhas e contribuir para um ambiente menos propício ao seu desenvolvimento.

 

Inundação Pré-Semeadura: Inunde a área 20 a 30 dias antes da semeadura no sistema pré-germinado, mantendo a lâmina d’água durante o ciclo, especialmente em áreas infestadas de arroz-vermelho.

 

Controle da Qualidade da Água: Utilize água limpa para reduzir a incidência de plantas aquáticas invasoras, garantindo um ambiente favorável ao crescimento saudável do arroz.

 

Planejamento do Uso de Herbicidas: Planeje o uso de herbicidas de forma estratégica durante o ciclo da cultura, visando reduzir os custos e minimizar impactos ambientais.

 

Controle de Pragas e Doenças: Monitorize e maneje as principais pragas, como lagarta do cartucho, broca-do-colmo e percevejo, assim como as doenças comuns, como brusone, piriculariose e mancha parda. Utilize defensivos agrícolas de maneira controlada, considerando os impactos ambientais e a saúde humana.

 

5) Colheita

 

 

Planeje bem a sua safra para evitar que a colheita coincida com a época de chuvas. Certifique-se de que a colhedora esteja pronta para agir rapidamente em caso de necessidade. 

 

Se estiver cultivando arroz em uma área irrigada, pare de fornecer água 10 dias após a floração de 50% das panículas e esvazie completamente a lavoura antes da colheita. O tempo necessário para cultivar e colher o arroz varia de acordo com a época e o local de semeadura, bem como o ciclo da cultivar. 

 

Existem diferentes grupos de maturação, desde super-precoce até tardio, e cultivares super-precoce permitem colher mais cedo com melhores preços. Também é possível fazer uma segunda colheita na mesma safra. O uso de cultivares precoces facilita o planejamento da safra, permitindo escalonar a semeadura, os cuidados com a cultura e a colheita. 

 

Cultivares com ciclos mais curtos são recomendados em áreas com possibilidade de clima adverso durante as principais fases de desenvolvimento. A produtividade será maior em cultivares com ciclos mais longos. Inicie a colheita quando os grãos estiverem com 20% de umidade e evite atrasos, pois isso pode reduzir o rendimento e depreciar o produto. 

 

Após a colheita, os grãos devem ser secados até atingir 13% de umidade para serem armazenados adequadamente. Procure um local arejado e seco, com controle de insetos e roedores para armazenar o arroz.

 


Agora, você está pronto para selecionar o seu arroz! Siga este guia para escolher, cultivar e colher as sementes de arroz. Desejamos-lhe uma excelente colheita!

 

 

Referências:

ESTADÃO Summit Agro. Guia da Plantação de Arroz: 10 Passos Para Cultivar o Grão. Disponível em: https://summitagro.estadao.com.br/noticias-do-campo/guia-da-plantacao-de-arroz-10-passos-para-cultivar-o-grao/#:~:text=A%20defini%C3%A7%C3%A3o%20da%20variedade%20de,maior%20capacidade%20de%20produzir%20gr%C3%A3os.

AEGRO. Plantação de Arroz: Dicas Essenciais Para Uma Boa Produção. AEGRO Blog. Disponível em: https://blog.aegro.com.br/plantacao-de-arroz/